sexta-feira, 30 de abril de 2010

Bloco de Notas

Share
1 - Homem de Ferro 2: Humor, ação, mulheres, carros, tecnologia e um herói do tipo humano. Um herói que não vem com manual de instruções ou comportamento. Um herói que precisa se redescobrir a todo momento. Um vilão digno e cenas de tirar o fôlego ao som de AC/DC. Vale o ingresso e deixa o gostinho de "quero mais". Ah, os créditos são bem interessantes.

2- Preocupado com o dia 21 de dezembro de 2012? Calma. Relaxe. Os Vingadores tem estreia marcada para o dia 4 de maio do ano "apocalíptico". Hulk está confirmado. Homem de Ferro, Thor e Capitão América tem grandes chances de terem participação no longa. A torcida fica para que os produtores não metam os "pés pelas mãos" e o filme fique seja um grande amontoado de heróis sem história alguma. Ps: Capitão América: O primeiro vingador terá Hugo Weaving (Matrix, Senhor dos Anéis e V de Vingança) como o Caveira Vermelha.

3 - Ainda no mundo Marvel, Thor tem estreia marcada para o dia 6 de maio de 2011 e não terá Samuel L. Jackson, como Nick Fury, no filme. Kenneth Branagh dirige o longa.

4 - A série do escritor Stephen King, A Torre Negra, poderá ser adaptada aos cinemas pela dupla Ron Howard e Brian Grazer, diretor e produtor de Uma Mente Brilhante e O Código da Vinci. A Universal Pictures está negociando a distribuição do filme, que também poder ir parar na televisão.

5 - Ainda não viu Homem de Ferro 2?

Avatar bate novo recorde

Share

Mais uma vez a produção de james Cameron surpeende. A versão blu-ray do filme Avatar vendeu 2,7 milhões de cópias nos EUA em apenas 4 dias. Esse é o novo recorde de vendas de filmes blu-ray desde a invenção da tecnologia. Antes, o recorde era de "Batman, o cavaleiro das trevas", deChristopher Nolan, que vendeu 2,5 milhões de unidades. A maior surpresa desse novo recorde é que o blu-ray de Avatar só é vendido na versão 2D, contrariando a ideia de que o atrativo para o filme seria o efeito 3D.

Você sabia? : Manifesto dos direitos e deveres dos nerds

Share
Como a gente já postou aqui no blog, o Dia do Orgulho Nerd nasceu na premiére do filme Star Wars e, junto com a comemoração do dia 25 de maio, veio o Manifesto dos Direitos e Deveres dos Nerds. Se você se identifica, dá uma olhadinha nos tópicos e siga as regras!

Direitos
  1. O direito de ser nerd.
  2. O direito de não ter que sair de casa.
  3. O direito a não ter um par e ser virgem.
  4. O direito de não gostar de futebol ou de qualquer outro esporte.
  5. O direito de se associar com outros nerds.
  6. O direito de ter poucos (ou nenhum) amigo.
  7. O direito de ter o tanto de amigos nerds que quiser.
  8. O direito de não ter que estar "na moda".
  9. O direito ao sobrepeso (ou subpeso) e de ter problemas de visão.
  10. O direito de expressar sua nerdice.
  11. O direito de dominar o mundo.
Deveres
  1. Ser nerd, não importa o quê.
  2. Tentar ser mais nerd do que qualquer um.
  3. Se há uma discussão sobre um assunto nerd, poder dar sua opinião.
  4. Guardar todo e qualquer objeto nerd que tiver.
  5. Fazer todo o possível para exibir seus objetos nerds como se fosse um "museu da nerdice".
  6. Não ser um nerd generalizado. Você deve se especializar em algo.
  7. Assistir a qualquer filme nerd na noite de estréia e comprar qualquer livro nerd antes de todo mundo.
  8. Esperar na fila em toda noite de estréia. Se puder ir fantasiado, ou pelo menos com uma camisa relacionada ao tema, melhor ainda.
  9. Não perder seu tempo em nada que não seja relacionado à nerdice.
  10. Tentar dominar o mundo.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Ih... Acabou!

Share
Essa é para os gamers viciados em Gunbound!
O apaixonante jogo de tiro deixará de ser oferecido no Brasil pela Ongame, pois a própria desenvolvedora Softnyx oferecerá o jogo.
Mas, se você também é fã desse jogo com diferentíssimos estilos de personagens e "canhões" por eles usados, não precisa ficar preocupado. A transferência no contrato será feita esse sábado (01/05), mas a parte técnica só entra em ação no dia 10 de maio. Nesse meio tempo, qualquer problema no jogo será de responsabilidade da Softnyx.

Quer saber mais?
Acesse e veja a nota oficial publicada pela Ongame: http://www.ongame.com.br/newsletters/abril/2010/newsgb2.html


Final da ESWC em Maio!

Share Criada em 2003, na França, a Eletronic Sports World Cup (ESWC) está se aproximando de mais uma final nacional. De 28 a 30 de maio, São Paulo sediará a disputa que esse ano conta com 5 jogos de gêneros diferentes. “Street Fighter IV”, “FIFA 2010” e “Guitar Hero 5”, para Xbox 360; e “TrackMania” e “Counter Strike 1.6” para PC. Quem se sagrar campeão de cada modalidade irá representar o Brasil contra outras 16 nações na final mundial, a ser realizada em Paris, entre 30 de junho e 4 de julho. No maior campeonato de e-sport (esporte de games) do mundo, os prêmios acumulados para 2010 irão ultrapassar os U$ 213 mil.

Pokémon II, o retorno

Share
Bom, como eu postei aquela história de nerd também tem saudade sobre Pokemon, fiquei com uma sensação de que dava para fazer um complemento: que tal achar um desses nerds em Pokemon para contar para o nosso blog como começou o relacionamento dele com esses bichinhos interessantes?

Então, apresento a vocês, o Felipe Lopes, de 18 anos e que está no 3º período de Comunicação Social na UFRJ. Eu aqui quebrando a cabeça para encontrar alguém e a resposta estava bem no meio dos meus calouros!
Primeiro de tudo, Felipe, faz um resuminho para os leitores de quais foram as mudanças em Pokemon desde a segunda temporada (porque nerd que é nerd assistiu até a segunda, quando os 150 viraram 250, né?).
"Após a segunda geração, o acréscimo de Pokémons foi de mais de 100, surgiram mais que 5 Pokémons lendários por geração e na quarta geração foram incluídos novos métodos de evolução de Pokémons, além de alguns dos novos Pokémons serem evoluções ou pré-evoluções de outros já existentes."

O Felipe acha que com todas essas mudanças, o anime acabou não ficando tão bom, mas ele continua acompanhando as novidades e e testando os jogos que lançam sobre esse desenho, já que ele achou todos os jogos muito bons, até agora. Como fã que é fã sempre faz uma maluquice pelo que gosta, nosso entrevistado contou que a maior doideira que ele já fez por Pokemon foi ir vestido de Ash (o personagem principal da série, né, gente) em uma festa à fantasia. Além da fantasia, ele ainda tem os jogos, alguns bonecos e o álbum de figurinhas do desenho (esse álbum foi febre, pode admitir que você também teve). Dá uma olhadinha aí embaixo pra ver o Felipe fantasiado!

Felipe e Helena, sua namorada, preparados para a festa. A Helena é da nossa equipe!

O relacionamento do menino com Pokemon começou por volta de 2000, mas de um jeito diferente: foram os games que chararam Felipe para assistir o desenho, e não o contrário. Ele começou pelo gameboy e terminou na grudado na tela da televisão. Sabendo disso, eu tive que perguntar quais os jogos pokemaníacos que ele indica, né?
"Acredito que as versões reb/blue, silver/gold e diamond/pearl sejam as melhores. O que inclui também yellow, cristal e platinum. Porém as versões sapphire, emerald e ruby estão abaixo das outras. O jogo do Pokémon Stadium também é muito bom. Todos são completos e fiéis a história, e a qualidade técnica dos jogos é constantemente incrementada."

O Felipe acredita que ainda tem público para Pokemon porque as crianças são influenciadas pela geração que veio antes delas e porque mangás e animes estão fazendo cada vez mais sucesso. E para a felicidade do nosso público, o entrevistado, como nós, defende que os nerds estão cada vez mais "cool" e menos estereotipados. Menino esperto, né, gente?

Obrigada pela participação, Felipe!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Estilo DAS nerds

Share
Pois é, leitores. Eu estava passeando pela blogosfera, lendo os meus fiéis blogs de feminices, quando vi um post (o nome do blog é Just Lia) em que alguns meninos "normais" davam opiniões nos estilos vários estilos de se vestir das meninas. Não preciso nem dizer que fiquei bem surpresa quando vi que o estilo nerd (quase sempre esquecido, especialmente quando se trata de meninas) estava lá, presente na avaliação.
Ficou curioso? Quem quiser ver o post clica aqui e depois deixa um comentário dizendo se você concorda com o que os meninos disseram ou não ;D

terça-feira, 27 de abril de 2010

Nerds invadem a TV

Share Essa semana o blog "Nerdlandia" começa uma série de reportagens sobre a invasão dos nerds na TV. Através dessas matérias se poderá ver o sucesso que esse grupo vem fazendo na telona e como o preconceito está ficando para trás. Para começar, esta semana vamos falar sobre seriados de grande audiência e até mesmo sucesso de crítica estrelados por personagens indiscutivelmente nerds!

Seriados nerds conquistam o público


por Ana Paula Mansur

Até alguns anos atrás, seriado nerd era sinônimo de cenários futuristas, seres estranhos e guerras intergalácticas, como no célebre “Star Trek”. Seus espectadores eram vistos como anti-sociais bitolados, que gostavam de fantasiar-se como seus personagens favoritos, fazer convenções para discutir o programa e até falar na língua inventada dos seres fictícios.
Esse grupo de fanáticos ainda existe, mas hoje os programas nerd expandiram sua temática e diversificaram-se, conquistando membros de todas as tribos. O maior exemplo deste sucesso atualmente é “The Big Bang Theory”, programa de comédia exibido na “Warner Channel” que conta a história de dois físicos brilhantes e nerds ao último nível, que dividem o mesmo apartamento. Suas vidas começam a mudar quando uma bela, mas de inteligência limitada moça torna-se vizinha deles. Um deles se interessa por ela, o que incomoda o outro que não tem vontade de arranjar encontros. A série é repleta de citações de videogames, quadrinhos e até mesmo física quântica, um prato cheio para nerds de carteirinha, mas que conquistou o público brasileiro e tornou-se a comédia mais vista no país.
Além de “The Big Bang Theory”, há outros exemplos bem sucedidos, como “Heroes”, do Universal Channel que dá uma visão diferente de super-heróis, ao colocar seus personagens como pessoas normais, sem as características capas e máscaras. No entanto, a fórmula das revistinhas, adorada pelos nerds é a mesma: há um grande vilão que quer destruir o mundo e os mocinhos tentam detê-lo com seus super poderes.
Ainda na linha dos nerds justiceiros, também se destaca “Dexter”. A série apresenta uma nova abordagem, a do “nerd bad boy”. Ela é sobre a vida de um analista forense, com inteligência acima da média, que de dia tenta solucionar os crimes por meio da ciência e à noite torna-se um serial killer, perseguindo e assassinando os criminosos que investiga. Por causa desta dualidade, Dexter é um personagem de grande complexidade, por isso o programa é um dos mais aclamados pela crítica nos Estados Unidos.
Desta forma, inserindo elementos como romance e humor além da ciência, séries nerds têm conseguido diversificar seu público e atingir altos índices de audiência. Se você ainda não conhece esses programas, seguem os horários e canais em que são exibidos. Vale a pena conferir!

The Big Bang Theory:

Canal: Warner Channel

Horários
Episódios Inéditos: Terça – feira às 21 30 h e às 00 30 h
Reprises: Quartas às 21 h e 21 30 h e 2h e 2 30h
Sábados às 10h e 10 30h e às 5h
Heroes

Canal: Universal Channel

Horário

Episódios Inéditos: terça-feira às 21 h

Dexter

Canal: FX

Horário

Episódios Inéditos: Quinta-feira, às 22h

Reprises: Domingo, às 00 00 h

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Quem é o nerd da foto?

Share
Vocês conseguem adivinhar quem é o nerd da foto? Uma dica: ele interpretou o Dr. Greene na série E.R.
É o ator Anthony Edwards, no papel do nerd Gilbert Lowell, no filme A vingança dos nerds (1984). Na comédia, ele faz parte de um grupo de universitários excluídos que fundam sua própria fraternidade, travando um guerra com os fortes do time de futebol.

Abaixo uma foto do ator na série E.R.:


sábado, 24 de abril de 2010

Making of Avatar

Share Confira o making of do filme Avatar e descubra como foi possível criar o mundo 3D dos Navi's

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Lançamento de Livro do Jogador para D&D 4.0

Share Quem curte D&D deve ter reparado que essa edição 4.0 veio cheia de novas regras e detalhes. O lançamento do segundo livro do jogador da versão 4.0 é um exemplo claro disso: com lançamento previsto para os dias 24 e 25 de abril (sim, sábado e domingo agora!), esse novo livro traz como duas novas classes o vingador e o xamã.
Tá interessado? Quer saber mais detalhes? Quer participar de algum lançamento desse livro? Clica aqui.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Atriz de Blossom participará da série The Big Bang Theory

Share

Vocês se lembram da protagonista nerd do seriado Blossom? Ela está de volta! Quer dizer, não mais como Blossom Russo. De acordo com o colunista Ausiello, da Revista Entertainment Weekly, a atriz Mayim Bialik fará uma participação especial em The Big Bang Theory como uma possível namorada de Sheldon. Confira abaixo uma foto da cena.

Ubisoft abole manual em papel

Share
A produtora francesa de games Ubisoft anunciou o fim dos manuais de instrução em papel para seus jogos. As informações que costumavam aparecer nesses folhetos agora estarão em formato digital, dentro dos jogos. A companhia diz que poderá passar a fazer guias mais completos enquanto, de quebra, ajuda a preservar o meio ambiente.

Segundo dados da Ubisoft, com o fim dos manuais em papel, cerca de "duas toneladas de madeira vinda de 13 árvores, com energia de 28 milhões de BTUs (equivalente ao que uma residência gasta de aquecimento e energia durante um ano inteiro), gerando gases de efeito estufa de mais de 6 mil libras de CO2 [2,7 toneladas] e usando 15 mil galões de água [56,8 mil litros]" que eram usadas para produzir uma tonelada desses guias, será economizada.

Essa prática começará a ser usada nos consoles com "Shaun White Skateboarding", previsto para o fim do ano para Xbox 360 e PlayStaion 3. Nos PCs, a empresa afirmou já fazer manuais ecologicamente corretos desde março, além de contar com parceria com Technimark, fabricante das embalagens de DVD mais ecologicamente corretas, segundo a Ubisoft. Polipropileno 100% reciclado é usado na fabricação das caixas.

Dungeons and Dragons

Share
Criado por Gary Gygax e Dave Ameson, em 1974, o D&D, como ficou conhecido, é o RPG (Jogo de Interpretação de Personagens, em inglês) de maior sucesso da história. Hoje, com 36 anos de existência, continua sendo jogado por pessoas de todo o mundo e recebe atualizações constantes do seu universo, focado em seres mitológicos, como Dragões. A última edição, 4.0, foi lançada em Junho de 2008 nos EUA.

No D&D, cada jogador pode interpretar uma gama variada de personagens que vai desde um Humano normal até criaturas mitológicas como Elfos e Gnomos, que ficaram famosas com os filmes da série O Senhor dos Anéis, de J.R.R Tolkien. Os livros base do RPG: Guia do Jogador, Guia do Mestre e Guia dos Monstros, fornecem o necessário para que a história possa acontecer, com 1 pessoa contando os acontecimentos e criando o enredo (o Mestre) e as demais atuando na história.

Para decidir algumas questões que vão além do bom-senso do Mestre, os jogadores de D&D fazem uso de dados de 4, 6, 8, 10, 12 e 20 dados. Muito usados principalmente nas batalhas, os dados dão um caráter mais impreciso às tramas de RPGs e deixam que certas cenas inesperadas aconteçam, como por exemplo algum personagem muito bom em algo acabe falhando catastroficamente na sua especialidade.

Várias adaptações do RPG já foram feitas para as mais diversas mídias. Quem não lembra do icônico desenho Caverna do Dragão? Além dele, um filme em 2000 levou D&D às telonas e vários games levaram o universo também para as casas das pessoas.

Ambos os criadores do D&D já estão mortos. Gary Gygax morreu em março de 2008, aos 69 anos, enquanto Dave Ameson encontrou o mesmo fim um ano depois, em abril de 2009, aos 61 anos.

Para saber mais de outros RPGs famosos, continue ligado no blog para mais novidades em breve.

Adorei!!

Share

As calcinhas mais nerds do mundo...


Legal, né?!

Veja mais no link: http://noticias.r7.com/esquisitices/fotos/as-calcinhas-mais-nerds-do-mundo-2.html

O mundo é DAS nerds

Share



O mundo é DAS nerds (pauta)




Inteligentes, decididas e antenadas, as chamadas "garotas nerds" vieram para ficar. Sem depender de ninguém e sem se importar com o que os outros pensam, elas assumem com muito orgulho o título de nerd e vão a luta para serem como são.

Com muita delicadeza, essas meninas transformam temas como programação em assuntos de mulher e moda em assunto de Nerd. O conceito de nerd está mudando e elas também são responsáveis por essa mudança.

Mas o que as levou a adotarem esse nome? Quais são seus interesses e expectativas? Quais são as principais diferenças entre meninas nerds e meninos nerds? E por que o grupo tem crescido tanto?


As respostas para estas peguntas?? Veja em breve, na máteria...
Share

Oi gente!! Minha pauta é sobre mangá e não consegui achar muitos sites bons sobre o assunto... alguém conhece algum? Aceito sugestões sobre mais enfoques legais que possam ser dados. Ainda não conheço muito bem o assunto, mais tenho certeza de que pode ser melhor explorado!! Obrigada :)

Pauta: Mangá

Criado no Japão há mais de 12 séculos atrás, o mangá é o estilo de histórias em quadrinhos mais difundido no mundo. O mangá tem muito mais possibilidades do que o consenso geral imagina. De material didático a motivo de discussões entre pais, que consideram sua linguagem muito sensualizada, o mangá é mais uma das diversões amadas pelos nerds mundo a fora.
* Falar um pouco da história do Mangá.
* Identificar os diversos tipos de histórias, pois os mangas geralmente são classificados de acordo com seu público-alvo (meninos, meninas, adultos, gays, etc), tendo diferentes tipos de enfoque em função destes (aventura, romance, etc).
* A difusão do mangá no Brasil.
* A relação dos nerds com o mangá, quais são os mais famosos, quais geralmente são os criticados. Pegar depoimentos de nerds sobre o mangá.

Pac Man - live action!

Share Esse vídeo é pra lá de conhecido e todo ano passa na Video Games Live, o maior show de músicas de games do mundo.Existe quem não se lembre da famosa cabecinha amarela do pac man, fugindo dos fantasminhas coloridos e  coloridos?
Para lembrar os velhos tempos, assistam e divirtam-se.

Revista Wired lança matéria de capa sobre geeks!

Share Essa matéria saiu na Wired falando sobre geeks da tecnologia, hackers e idealistas. Quem quiser dar uma olhada, clica aqui.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Nerds importantes para o mundo atual/Inventores

Share
Na vida moderna, hoje em dia, tudo é muito mais fácil do que já foi antigamente. Com a descoberta da energia elétrica e a criação de diversos aparelhos (telefone, televisão, computador, etc), e até mesmo dos carros e de outros meios de transporte, a vida do homem mudou completamente. Mas isso só foi possível graças aos estudos e a dedicação de alguns nerds históricos que aplicaram seus conhecimentos em prol de toda humanidade. Albert Einstein, Leonardo da Vinci, Thomas Edison, e outros cientistas, físicos, químicos, desde a descoberta do fogo até o aparecimento da internet, todos, de alguma maneira, deixaram sua contribuição.

A ideia da minha terceira pauta é fazer um apanhado desses nerds fundamentais para a vida atual, relatar suas áreas de estudo e como conseguiram seus feitos.

iPad banido em universidades americanas

Share

O iPad, mais novo aparelho da Apple e objeto de consumo dos nerds americanos, foi banido em duas universidades dentro dos Estados Unidos: George Washington e Princeton. De acordo com as instituições, o alto consumo de banda dos gadgets causaram instabilidade nas redes. Na George Washington, também houve incompatibilidade do sistema de Wi-Fi. Além das duas, a Cornell University também estaria estudando banir o uso do aparelho.


Apesar de, por enquanto, o tablet só ser vendido nos EUA, o governo de Israel já proibiu sua entrada no país. Esta proibição também é de ordem técnica: há uma possível incompatibilidade do sistema de Wi-Fi do aparelho com o utilizado em Israel.


De acordo com o "The Wall Street Journal", as universidades disseram que estão trabalhando para resolver os problemas. Algum nerd se propõe a ajudar?

Super-heróis que são nerds (ou vice-versa)

Share
Assim como os nerds, os super-heróis escondem alguns segredos. Às vezes, os caminhos que encontram para extravasar seus sentimentos e superar as dificuldades de uma vida social é criar uma identidade secreta e partir em busca da salvação do mundo. Inteligência para isso, obviamente, não lhes falta. Os nerds têm sempre ótimos QIs e são capazes de desenvolver super-poderes e munições específicas (como seus meios de transporte).

A ideia da minha segunda pauta é entender como nasce o desejo de um nerd em ser herói e como sua inteligência o ajuda nesse sentido. Por que acontece esse comportamento presente, por exemplo, no Super-Homem (Clark Kent), no Batman (Bruce Wayne) e no Homem-Aranha (Peter Parker)? Procurar fazer uma análise psicológica através da opinião de especialistas deve ajudar nessa compreensão.

Nerds que não se deram bem/Losers

Share
Geralmente, tem-se a ideia de que os nerds são pessoas obcecadas em determinado assunto, mas que, de uma maneira ou de outra, acabam achando o caminho para o sucesso (muitas vezes financeiro). Mesmo abdicando de uma convivência social, eles são inteligentes e conseguem ter êxito com o seu objeto de estudo excessivo. Mas toda regra tem sua exceção, certo? E aqueles nerds que não conseguem triunfar nunca? Como lidam com a frustração de ser um nerd loser?

A ideia da minha primeira pauta é buscar exemplos que derrubem essa tese (mais recente) de nerds bem sucedidos. Alguns personagens de desenhos animados servem como ilustração: o Cérebro, da dupla com o Pink, e o Dick Vigarista, da Corrida Maluca me vêm à cabeça como alguns exemplos.

sábado, 17 de abril de 2010

Sexto Sentido

Share

Ferramenta: Internet é seu nome

Share

Pauta

Share O que é um mobile? A sua inserção no telejornalismo? As mudanças do telejornalismo brasileiro com o aparecimento dessa tecnologia? A interatividade entre apresentador e telespecador é notória ou não? Quando começou essa inserção? Quais produtos se tornaram as primeiras cobáias dessa tecnologia?

NERD= TECNOLOGIA

Share

Os meios de comunicação já não mais os mesmos. Indubitavelmente, a inserção de plataformas digitais veio com tudo.Com o advento da modernidade, a tecnologia se tornou, um cargo chefe para quem deseja se tornar um bom profissional de comunicação. A síncope entre essas barreiras já existe, e não adianta voltarmos atrás. A corrida pelo furo de reportagem se foi a Internet, nos possibilita divulgarmos uma informação, seja ela verossímil ou não, num curto espaço de tempo.

Não bastasse o advento da Internet, a tecnologia móbile nos permitiu não importando o lugar de origem, realizarmos uma comunicação através, de satélites e wireless. Imagine agora, podermos interagir com o apresentador de um telejornal qualquer, dando nossas opiniões e mudando tudo até o presente momento o que se entendia sobre comunicação. A TV Digital também nos possibilitará isso. Com isso, deixamos de ter aquele velho pensamento, de teóricos como Adorno, moldados pela escola Frankfurt, entre sujeito ativo ou passivo.Hoje o sujeito assisti, produz e adquiri quando possível uma reflexão do produto que fizera. Uma corrida em busca de um pódio, que não parece ter fim.Nos remetendo, a corrida armamentista e aeroespacial na busca pela hegemonia nos tempo da Guerra Fria entre Estados Unidos e URSS.

A exclusividade desses fatores tem como respaldo, a homens considerados Nerds pela maioria da população, por serem vidrados em tecnologia. Esses Geeks assim também chamados passam boa parte de seu tempo estudando, pesquisando, realizando experiências numa busca exaustiva de se desenvolver um equipamento ou máquina mais avançada das demais.Mais leves mais compactos esses Ipod, Ipad, Netbook são exemplos a quão andam, o desenvolvimento tecnológico no Mundo.
http://promocaolegal.com.br/wp-content/uploads/2010/02/apple_ipad_full_2.jpg http://pt.wikipedia.org/wiki/Nerd http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://en.wikipedia.org/wiki/Mobile_phone&ei=xRjKS-uoF8qzuAeDuNSOBQ&sa=X&oi=translate&ct=result&resnum=20&ved=0CFMQ7gEwEw&prev=/search%3Fq%3DMOBILE%26hl%3Dpt-BR
">
http://promocaolegal.com.br/wp-content/uploads/2010/02/apple_ipad_full_2.jpg
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nerd
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://en.wikipedia.org/wiki/Mobile_phone&ei=xRjKS-uoF8qzuAeDuNSOBQ&sa=X&oi=translate&ct=result&resnum=20&ved=0CFMQ7gEwEw&prev=/search%3Fq%3DMOBILE%26hl%3Dpt-BR

sexta-feira, 16 de abril de 2010

É tarde! É tarde! É tarde!

Share Corram como o coelho branco! Preparem a pipoca e o guaraná! Cortem as cabeças! (rsrs)
Já está chegando ao fim a contagem regressiva para o super lançamento de Alice no País das Maravilhas em 3D nos cinemas.

O filme está em cartaz nos EUA desde 5 de março, mas no Brasil os adoradores da pequena loirinha devem esperar até o dia 21 de abril. Felizmente a espera já está acabando e logo logo poderemos ver em 3D todas as surpresas que Tim Burton preparou nessa nova aventura de Alice, agora nem tão pequena assim. A história será sobre o retorno de Alice, já adulta, para o País da Maravilhas.

O elenco conta com ninguém menos que Johnny Depp, que abandonou o navio pirata e voltou a usar cartola, interpretando desta vez o chapeleiro louco. Como Rainha de Copas, encontraremos Helena Bohan Carter, conhecida por sua interpretação da maléfica Belatriz Lestrange na série de filmes Harry Potter. Helena, que além de conhecer o trabalho de Tim em filmes como “Noiva Cadáver”, o conhece melhor que ninguém (eles são casados).

Além deles, o filme também apresenta Mia Wasikowska como Alice, Crispin Glover como Valete de Copas, Anne Hathaway interpretando a Rainha Branca e Alan Rickman como a Lagarta. Fora este elenco incrível e a idéia inovadora de pensar além do texto original, há mais um atrativo: a magia dos efeitos visuais em 3D. Parece que Burton se superou nessa nova produção...

Ficou curioso? então aqui vai uma palhinha do que vem por aí:
http://www.youtube.com/watch?v=9POCgSRVvf0&feature=related

E na onda das inovações digitais, o Ipad dá o que falar:
http://www.youtube.com/watch?v=gew68Qj5kxw

Comunidades do Orkut - um vício perigoso!

Share
Você é daqueles que têm uma coleção de comunidades no orkut e entrou na maioria delas mais por ter nome ou descrição legais/engraçadas? Nem chega a postar nelas, se contenta só em rir das descrições, que muitas vezes são bem bizarras?Pois bem, aqui vai uma lista de comunidades desse tipo:

Queria sorvete, mas era feijão


Pokemon: nerd também tem saudade!

Share
Gente, pra quem tem entre 18 e 22 anos, não adianta negar, você assistia pokémon - e gostava!
No túnel do tempo...: O desenho animado Pokémon leva esse nome a partir de pocket monsters e seus personagens eram animes, ou seja, desenhados naquele estilo japonês. O desenho se iniciava com Ash, o personagem principal que queria ser treinador de pokémons, em sua caminhada pelo mundo para realizar seu sonho.  Nisso começam a ser apresentados inicialmente 150 pokémon, que vão se multiplicando a cada temporada do desenho.
Os pokémons eram bichinhos, inspirados em bichos do mundo real, com poderes baseados nos elementos a que pertenciam (eletricidade, ar, terra, fogo...). Esses bichinhos ficavam guardados por seus treinadores em pokebolas, bolinhas que "sugavam" eles lá para dentro - bem portáteis. Além disso, eles podiam ser usados para apresentações em circos, para criar como animais de estimação ou para - como no caso de Ash - serem usados em batalhas contra outros treinadores. O melhor treinador do mundo era quem ganhava a Liga Pokémon e, portanto, era o melhor em lidar com seus bichinhos.
À medida que o desenho foi se desenvolvendo, Ash fez amigos, trocou experiências e seus pokémons foram evoluindo e se tornando mais poderosos e muito diferentes.

O desenho virou uma mania tão grande que começaram a vender bichos de pelúcia, pokebolas, cadernos, adesivos e gaharam linhas de jogos em várias plataformas - Game Cube, Game Boy e vários Nintendos. Só os jogos desse desenho venderam mais de 180 milhões de unidades no mundo, se tornando a segunda série mais vendida da Nintendo!
Atualmente existem 493 pokémons divididos em 4 gerações do desenho - e a criançada continua aproveitando esse legado do nosso tempo.

O que os nerds ouvem?

Share
O que será que os nerds ouvem? Será que há alguma relação entre a “nerdice” deles e seus gostos musicais? Para descobrir essas informações, nada melhor do que entrar em contato com os próprios nerds para que eles possam se expressar. Com os dados em mente, será hora de partir para a pesquisa. Tentar relacionar e descobrir se os gostos são comuns e por quê.

Existem vários tipos de nerds diferentes, tem os otakus (aqueles que são viciados em desenhos japoneses, os animes, e em tudo que é proveniente da cultura oriental), os gamers (jogadores de video-games), dentre outras especificidades. Será que os seus gostos musicais são comuns entre si? Ou só dentro de cada “classe” nerd?

A partir daí teremos uma matéria final, ilustrando todas as vertentes possíveis do gosto musical dos nerds. E se você é nerd e quiser compartilhar as suas preferências. Comente!

Um pequeno aperitivo:

The Big Bang Theory

Share Assaltantes invadem a casa de Sheldon e Leonard !!

Pauta sobre Games e Nerds dos Games!

Share Nossos leitores, preciso da ajuda de vocês! Tô elaborando uma matéria pra colocar aqui no blog sobre o mundo dos video games e jogos de computador e preciso de personagens!
Quem quiser me dar entrevista é só mandar e-mail para labjornalufrj@gmail.com com opiniões sobre os seguintes tópicos:
  • Quais são os games que estão em alta agora?
  • O que te levou a se tornar um nerd dos games?
  • Qual o game que serviu de inspiração pro seu "vício" em video games?
  • Quais vocês acham que é o estereótipo do nerd do video game?
  • O que vocês acham que fascina tanto nos video games e jogos de computador para levarem pessoas de faixas etárias tão diferentes e várias gerações a aderirem a essa mania?
  • Qual a melhor plataforma de video games atualmente?
Conto com a participação de vocês!!!

Pauta: Nerds famosos

Share Steve Jobs, Irmãos Wachowski, Bill Gates entre outros nomes fizeram história. Muitos não sabem as trajetórias de suas vidas profissionais e pessoais. Como chegaram ao hall da fama? O que eram antes de serem mundialmente conhecidos? Quais eram os planos de cada um antes da notoriedade? George Lucas queria ser um piloto de carro profissional. Procurar saber sobre o que eram antes e se o que são hoje foi uma mera coincidência do destino ou se é uma realização de um antigo sonho.

Nerds na TV e no cinema

Share
Os nerds estão em todo lugar e na tv não poderia ser diferente. Nos filmes e séries, eles se destacam em personagens divertidos e engraçados. Entretanto, não é só na comédia que nerds se sobressaem. No drama “Dexter” o personagem principal trabalha na polícia de Miami como analista forense. Isso seria normal se não fosse o fato dele ser um serial Killer! Como expert em sangue, ele é apontado por todos seus colegas como um nerd. Existe também o reality show “As Gostosas e os Geeks”. No programa, os participantes são divididos em casais, sendo eles nove garotas bonitas e noves garotos muito inteligentes. Será o casal vencedor aquele que conseguir aprender mais com seu parceiro. Quando o assunto é desenho animado, não podemos esquecer a nerd mais politicamente correta: Lisa Simpson.
Como deu para perceber os nerds invadiram todos os gêneros. E para você qual o personagem inesquecível? Os nerds são realmente espertos? Já se identificou com algum personagem da tv? Vamos falar dos inúmeros filmes e séries que adoram explorar o fascinante mundo nerd.

MOOG

Share
Nada mais condizente para um nerd com pretensões musicais do que os sons artificiais de um sintetizador. Um paleontólogo nova-iorquino, por exemplo. Os fãs da sitcom que se tornou fenômeno de mídia nos anos noventa devem se recordar do episódio em que Ross Geller ressuscita seu teclado da poeira oitentista e brinda seus cinco amigos – e milhões de seguidores – com "o seu som". Uma composição brilhante, repleta de latidos, mugidos, britadeiras, campainhas, sirenes, vidros partindo e sons espaciais... uma levada quase jazzística, talvez uma música concreta, culminando numa explosão apocalíptica. Ele adverte ainda que faltara o sample do helicóptero – poderia ter sido ainda melhor. Seria um Mozart pós-Moog?
Em 1964, Robert Moog apresentou sua criação, batizada com seu sobrenome: um teclado que acionava sons inimagináveis. Os primeiros sintetizadores foram desenvolvidos pela empresa americana RCA, no início da década de cinqüenta, e lhe renderam um Nobel (provavelmente não o da paz). Porém, foi Moog que o transformou em uma máquina acessível a pessoas com menos de três metros de altura - o primeiro equipamento tinha dois metros por cinco e não dispunha de um teclado similar ao do piano, mas de botões.
Caso alguém ainda questione o percentual nerd da personalidade de Robert: ele se aproxima de 100%. Moog era físico, engenheiro, pianista e americano. Criou a Moog Music In. e continuou aperfeiçoando sua invenção. Lançou-a no formato de guitarra, como um microfone que distorcia a voz e em versão mini – seu maior sucesso de vendas. Hoje, aposentado e com os direitos de comercialização da marca Moog vendidos, é diretor de uma outra empresa - a Big Briar - onde produz peças e dispositivos eletrônicos para os seus antigos instrumentos.
Revolucionou a música. Wendy Carlos, Emerson, Lake & Palmer, Pink Floyd, Mutantes, New Order, Cindy Lauper… até Po-Po-Poker Face de GaGa. A lista é extensa. Sua artificialidade, acidez e seu caráter introspectivo fazem do Moog o instrumento mais nerd da música. Nos próximos meses, vamos ouvir um pouco mais de chan!, cuek!, doh!, gong!, boom! e tadaaaa!!!





Para quem também quiser criar o "seu som": http://instantsfun.es/

Vocabulário dos nerds

Share
De todas as particularidades de um nerd, uma das mais marcantes é o seu vocabulário. Recheado de termos em inglês e referências a videogames, ele pode ser um desafio para quem não vive nesse universo. Dessa forma, queria listar e descobrir as origens das expressões usadas pelos nerds.

Aqui estão algumas:
  • True (Nerd true = nerd de verdade, legítimo)
  • Fake (falso)
  • Owned (não consegui explicar, sobrou para a wikipédia: usado comumente em comunidades de jogadores para reconhecer uma forma de superioridade devido a uma queda, falha, erro ou perda no jogo por parte de algum grupo ou pessoa)
  • Over (algo extremo)
  • Usar Gameshark (aparelho de gameboy para fazer macetes)
  • Godlike (fez algo de maneira excepcional)
  • Juggernaut (nome de um personagem dos x-men, que era simplesmente "unstopable" - apanhava, apanhava, mas levantava e prosseguia com a tarefa)
  • Doublekill, triplekill (termo usado nos jogos de FPS, quando se consegue matar dois ou três inimigos)
  • "Maldito" seguido do nome da pessoa (Do Vegeta, de Dragonball-Z, que sempre chamava os inimigos de malditos)
  • Lag (dar lag é ficar lento, alguma coisa com lag é uma coisa devagar)
  • Newbie (o novato, alguém ainda meio perdido em um determinado assunto)

Continuo pesquisando por aqui e aceito contribuições!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

eu NÃO sou CDF!!!

Share
Está de saco cheio de ser chamado de CDF sem ser um?
Aquele fanfarrão da sua sala te pede cola com a desculpa de “pô, mas vc tem mó cara de nerd...”?

Muita gente confunde o Nerd com o CDF e, apesar de ter uma parte verdadeira, essa comparação também pode ser errônea. Então da próxima vez, explica pro “coleguinha” de classe que a coisa funciona mais ou menos assim:

O CDF (ou cabeça de ferro) é aquela pessoa “cabeçuda”, extremamente inteligente e que estuda profundamente algo, tirando altíssimas notas em uma ou mais matérias(ou até mesmo em todas). Todo CDF tira notas boas e é um tanto quanto viciado nos estudos.

Já os nerds apresentam maior variedadeentre si e não necessariamente são bons nos estudos, com excessão dos nerds que curtem tecnologia e ciência. Esse perfil pode ser dividido em grupos voltados para diferentes interesses (games, tecnologia e ciência, quadrinhos e desenhos animados, etc). Por isso, um nerd do tipo gammer pode ser um péssimo aluno sem deixar de ser nerd.

Resumindo, nem todo CDF é nerd e vice-versa. Em outras palavras: não é porqque eu sou nerd que sei tudo sobre a matéria, muito menos q vou te dar cola ¬¬’

"NERDS - They know H.T.M.L (How To Meet The Ladies)"

Os segredos de Lost!

Share
Se você é fã do seriado Lost, o mais enigmático dos últimos tempos, você tem que entrar no site http://losties.com.br/ criado por um grupo de nerds. O objetivo é tentar desvendar e discutir os mistérios da trama. Voce até pode colocar a sua teoria sobre a série! Vale muito a pena!

Pauta-Personagem: Um NERD e as tecnologias da espiritualidade

Share


Marcos Cavalcante de Albuquerque tem 23 anos e desde 2005 estuda Engenharia Química na UFRJ. Sempre com uma revista ou livro sobre tecnologia e/ou ciência na mão, ele lança um assunto totalmente novo e surpreendente para você em qualquer papo de esquina.

Sua “alma nerd” alcançou outra paixão: a música. Autodidata, Marcos hoje é famoso entre os amantes da música psicodélica no Rio de Janeiro. Dark progressivo é o estilo preferido do DJ que, nos dois últimos anos, tocou no maior festival de música eletrônica brasileiro.

Mas melhor do Marcos ainda não foi mencionado: seus interesses não têm os mesmos limites das descobertas científicas. O limite dele é espiritual. Adepto a filosofias orientais, vários tipos de artes marciais, taoísmo, shaolins... ele é um cientista da tecnologia espiritual. Ele entende tudo de tudo e adora te explicar, conseguindo, sempre, quebrar seus paradigmas. Pura metafísica.


Vou entrevistar Marcos, tentando abordar estes três campos: ciência, tecnologia (entra aqui a música) e sua espiritualidade. A ideia é entender como sua história de vida o levou a se envolver com esses assuntos:


- Você se considera ou já foi considerado um NERD?

- Quando começou seu interesse pela ciência? E pela tecnologia?

- Porque escolheu Engenharia Química? No que você desejar trabalhar?

- Quais são tuas áreas de interesse dentro da ciência? Você está sempre atento a discussões e descobertas?

- Como você se informa sobre esses assuntos?

- Quando começou seu interesse pela música? E quando decidiu virar DJ?

- E as artes marciais? Foram elas incitaram seu lado espiritual?

- Como você encara a união destes três campos, ciência, tecnologia e espiritualidade?


Bom, a ideia é mais ou menos essa. Óbvio que pretendo desenvolver mais. Se alguém quiser sugerir outros focos ou perguntas para a entrevista, agradeço!

Ah, o site dele: http://soundcloud.com/djflek


quarta-feira, 14 de abril de 2010

Parabéns, Jovem Nerd!

Share
crédito da imagem: jovemnerd.ig.com.br



Há oito anos atrás, em 14 de abril de 2002, o blog Jovem Nerd foi criado pelos amigos Alexandre Ottoni e Deive Pazos - conhecidos pelos leitores como Alottoni e Azaghâl. Quase uma década depois, o que começou como brincadeira se tornou coisa séria e cresceu muito! Hoje até loja virtual eles têm. Então, em nome do pessoal da Nerdlândia, parabéns!



O Jovem Nerd vai ser tema de matéria aqui. A ideia é traçar um histórico do blog, saber por que Alottoni e Azaghâl resolveram criar o endereço, em qual momento eles decidiram que era hora de profissionalizar a empreitada, quais são as perspectivas daqui em diante, etc. Pra isso, vamos tentar entrevistar os criadores do JN, claro.



Outro caminho possível é tentar conversar com os leitores do Jovem Nerd. Seria legal descobrir por que eles leem o blog, qual eles acham que é o diferencial do JN, e outras perguntas que forem surgindo ao longo do caminho.



E vocês, leitores, podem contribuir! Querem sugerir questões para a entrevista com Alottoni e Azaghâl? Quer dar sua opinião como frequentador do Jovem Nerd? Manda ver nos comentários!

Palestra "Estudos Culturais do Software"

Share
É, galera, essa é pra quem gosta de informática!
Uma palestra super interessante no dia 15 de abril com o título "Estudos Culturais do Software", com o Prof. Dr. Cícero Silva (http://www.cicerosilva.com/ e http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4706930D2"). 
Quer saber mais? Olha a "sinopse":
"Os processos computacionais tem afetado ou influenciado as mais variadas manifestações culturais e artísticas contemporâneas. Kindle, Kobo, Sony Reader, Skyff, netbooks, entre outros, questionam os formatos tradicionais de leitura, pesquisa e acesso à informação.
A palestra abordará novos formatos de publicação, acesso, produção e circulação dos bens culturais que serão afetados ou até mesmo ressignificados pela cultura do computador."
Tá interessado? O evento vai aconteceràs 14h no salão Salão Moniz de Aragão do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, no campus da Praia Vermelha (Av. Pasteur, 250). A entrada é livre!

terça-feira, 13 de abril de 2010

O livro digital e seus direitos de leitor

Share Parece que os livros digitais vão começar a ser um mercado, de verdade e em breve. a amazon está lá, a sony também, assim como a barnes & noble e agora a apple, trazendo seus fanáticos consumidores para a cena do livro digital. sim, e há um monte, dezenas, de xing-ling-readers, pelo menos meia dúzia dos quais tem aspirações a ser a hyundai do livro digital. mas há que se lembrar que o “reader”, o dispositivo que fica na sua mão, é só uma pequena parte da solução. ou uma grande parte do problema, você escolhe.claro que ninguém sabe, a esta altura do campeonato, o que vai acontecer com o livro digital; aliás, este foi o tom das discussões do primeiro congresso internacional do livro digital, CILD, que rolou em são paulo semana passada; este blog esteve na conversa e os slides da palestra estão neste link.continua aqui: http://smeira.blog.terra.com.br/2010/04/07/o-livro-digital-e-seus-direitos-de-leitor/

Os nerds também amam...

Share Para quem vai falar sobre relacionamento amoroso entre nerds, segue o link de uma HQ muito legal que encontrei hoje. É uma versão nerd ilustrada da música eduardo e Mônica, do Legião Urbana.


http://nerdson.com/blog/os-nerds-tambem-amam-4/


No site tem vários outras histórias em quadrinhos legais que só nerds de verdade entendem...

Até mais!

Homem de Ferro 2 - Armadura Final do Chicote Negro

Share
Robert Downey Jr. está de volta - e melhor do que nunca.
A nova aventura do Homem de Ferro marca uma luta contra o vilão Wiplash (vivido por Mickey Rourke), também conhecido como o Chicote Negro.
Tony Stark, agora não mais um herói anônimo, está sendo pressionado para compartilhar sua armadura com o exército americano. Não bastasse ter que passar por esse problemão, o Chicote Negro vai ser ajudado por Justin Hammer (Sam Rockwell). Atento para o perigo, agora ele vai ter que correr atrás de uma aliança com velhos conhecidos: Viúva Negra (a espiã soviética), Nick Fury e Máquina de Guerra.
A estreia está prevista para 7 de maio.

Pauta - IME/ITA

Share
Vai dizer que não é um sonho estudar no IME ou ITA? Se existe um lugar que todo nerd brasileiro deseja estudar, esse é um dessas duas instituições referências em tecnologia e engenharia. Sendo assim, essa pauta (que depende, claro, de sua ajuda) buscará traçar um perfil de alunos de uma turma de cursinho preparatório para o vestibular das duas mais concorridasfaculdades de engenharia do Brasil.



O básico da apuração será acompanhar as aulas, conversar com alunos, professores e coordenadores buscando descobrir informações como:

- desde quando essas faculdades viraram um objetivo de vida
- como era a rotina de estudos e vida antes-IME/ITA

- Viver para estudar, ou estudar para viver?
- A vida social
- desde quando essas faculdades viraram um objetivo de vida.
- a rotina de estudos (é possível conciliar com outros interesses?)
- como era a rotina de estudos e vida antes-IME/ITA
- Vive para estudar, ou estudar para viver?

- Para eles o estudo é motivo de felicidade? Existe um sentimento de abrir mão de diversos outros prazeres da vida? Ou o prazer é o conhecimento?
- Perguntar se eles se sentem nerd, planos de carreira para o futuro, quais áreas desejam atuar.
- Passar um pouco das impressões sobre o ambiente das aulas (Será ele tenso? Disputado? Existe uma ajuda conjunta?)

- Passar as impressões pessoais do jornalista.

Personagens:
- Tentar conversar mais profundamente com aquele que é a grande esperança no vestibular.
- Alguém que já tenha feito o curso e agora é aluno das instituições superior (os desafios de ficar lá e etc...)
- buscar uma criança que já se destaca e desde pequeno tem como objetivo IME/ITA.

Nerd ou NERD?

Share
Existe uma discussão sobre a origem da palavra nerd. Há quem diga que é uma sigla de Northern Electric Research and Development (Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da companhia Northern Electric do Canadá, hoje Nortel). Nesse caso, NERDs seriam os pesquisadores que trabalhavam incessantemente no laboratório desse departamento.
A outra possibilidade é de ser uma expressão utilizada pelos alunos do MIT (Massachussets Institute of Technology ou Instituto de Tecnologia de Massachusetts; em português). Alguns estudantes eram chamados knurds - o inverso de drunk, que significa bêbado. Esta seria uma brincadeira com aqueles que deixavam de dormir como muitos outros, entretanto, ao contrário dos demais, as noites não eram perdidas em bares, mas em estudos e pesquisas.

Revista Bravo: Admirável Livro Novo - IPad

Share REVISTA BRAVO (Abril 2010)

Admirável Livro Novo

O iPad, que sai neste mês nos Estados Unidos, é mais um passo de uma revolução em curso. Obras de culinária, infantis e até de literatura poderão ser enriquecidas com vídeos, animações e mecanismos interativos. Até quando o velho livro de papel aguentará a concorrência?
por Cristiane Costa ilustrações Sean Mackaoui

Quem compraria de olhos fechados um produto que ninguém experimentou, que ainda não tem certeza de como funciona e que nem sabe exatamente para que vai servir? A partir deste mês, milhares de pessoas (por ora apenas nos Estados Unidos) terão a oportunidade de ver como é realmente o iPad, o mítico e-reader da Apple, aquele que pode fazer com o livro em papel o mesmo que o iPod fez com o CD: torná-lo dispensável. Seriam esses computadores pessoais em formato de prancheta e tela sensível ao toque, chamados tablets, “assassinos tecnológicos”, capazes de transformar o livro impresso em objeto de museu, ao lado dos daguerreótipos, dos gramofones e até dos primeiros leitores digitais, como o Kindle?

Como em todas as discussões milenaristas, os debatedores podem ser divididos em duas correntes: os “apocalípticos” e os “integrados”, para usar os termos do filósofo italiano Umberto Eco – que é, aliás, uma voz importante também nessa questão. Na obra Não Contem Com o Fim dos Livros, que sai no fim do mês no Brasil, ele e o escritor francês Jean-Claude Carrière procuram tranquilizar, numa série de conversas, os que temem que a era tecnológica se transforme num apocalipse que não deixará página sobre página. Ao mesmo tempo, é um exemplo de como a discussão sobre o fim do livro é inútil, porque na maior parte do tempo é baseada em achismos e experiências pessoais que não são necessariamente compartilhadas pelas novas gerações. Mesmo quando o debate é liderado por pensadores de renome.

Quem lê o livro percebe que a confiança expressa na capa não reflete o conteúdo. O que sobressai é o lamento de dois homens brilhantes que, como muitos de seus contemporâneos, se veem como dinossauros soterrados por uma revolução nas formas de escrever, ler e transmitir o conhecimento. Carrière fica surpreso, por exemplo, quando o amigo Eco revela ser um velho jogador de fliperama (!) atordoado por uma “derrota acachapante” de 280 a 10 para o neto de 7 anos num videogame. O placar leva o autor de O Nome da Rosa a reconhecer que, por mais que tenha devorado bibliotecas, é incapaz de acompanhar a revolução que se anuncia. “Nossa insolente longevidade não deve nos mascarar o fato de que o mundo do conhecimento está em revolução permanente e de que não fomos capazes de captar plenamente alguma coisa senão no lapso de um tempo necessariamente limitado.”

Apesar de inflamar corações e mentes, a discussão sobre o fim do livro é apenas a ponta do iceberg de outra revolução em curso: a das novas possibilidades de narrar e ler abertas pelas tecnologias digitais [leia os principais exemplos nos quadros ao longo desta reportagem]. Essas inovações convergem de tal forma que, no futuro, as experiências de ler, ouvir e ver não serão mais distintas. Uma nova semântica já começa a se instaurar a partir da internet. Os próprios conceitos de livro e literatura já não parecem mais tão claros diante das novas mídias.

A QUARTA TELA

A revolução que torna incerto o futuro do livro questiona a noção de autoria, abala as bases da indústria editorial e muda as formas de leitura já é chamada pelos especialistas de Quarta Tela – as três primeiras são a da televisão, a do computador pessoal e a do telefone celular. A quarta tela com que vamos nos acostumar a interagir diariamente será a do tablet. O iPad é a estrela desta nova geração de computadores, mas nem de longe a única. Calcula-se que ele dividirá o mercado com pelo menos 50 modelos nos próximos meses.

A Hewlett-Packard, por exemplo, promete para breve o Slate, que usará o Windows como sistema operacional. A Samsung também anunciou o seu E6, um e-reader que permite anotações a mão, e a Asus inova com um e-reader com duas telas, simulando a leitura de um livro. Até o Brasil entrou na corrida. De Recife, a Mix Tecnologia anunciou o lançamento para junho do primeiro leitor eletrônico com software 100% nacional, a um preço que varia entre R$ 650 e R$ 1,1 mil. O investimento parece alto, mas milhares de e-books são oferecidos pelas livrarias virtuais gratuitamente, como os clássicos em domínio público. E o download de um lançamento custa em geral metade do preço de um livro em papel.

Tablets têm uma série de vantagens sobre os dispositivos que apenas exibem textos digitalizados, como os pioneiros Kindle, da livraria Amazon, e o nook, da livraria Barnes & Noble, além de sua tela colorida. “Ele abre uma nova gama de experiências que ultrapassa a da leitura do livro impresso”, afirma o brasileiro Julius Wiedemann, editor-chefe da área de design da Taschen, que já testa um programa para simular livros de arte no novo e-reader, com direito a multimídia e interatividade. “Vivemos uma mudança radical de paradigma”, acredita. Opinião parecida tem o editor da revista americana Wired, Chris Anderson. “Daqui a 10 anos vamos ver que este foi um momento significativo”, afirmou numa conferência em São Francisco em março, quando apresentou um vídeo com a versão da revista, uma espécie de bíblia das novas tecnologias, para o iPad.

A verdade é que, até o mês passado, e-readers eram suportes eletrônicos para livros comuns, e os e-books não passavam de versões digitalizadas de textos produzidos para serem impressos. Mas, de agora em diante, o livro — assim como os jornais e revistas — pretende ser muito mais do que um texto adaptado para o novo formato. Nascidos digitais, os novos livros podem prescindir da leitura linear, integrar-se à internet, misturar palavra, vídeo, foto, som e animação, e literalmente explodir em 3D nas telas. Neste novo universo, real e virtual não são mais mundos separados. Os novos livros poderão ainda ser reescritos por seus leitores, em experiências interativas e colaborativas que colocam em questão o conceito de autoria e propriedade intelectual.

O CHEIRINHO DO LIVRO

Ainda é cedo para medir o impacto na criação narrativa dessa literatura sem papel. O livro eletrônico poderia desenvolver novas formas expressivas — assim como o livro impresso possibilitou o boom do romance, e a câmera filmadora a explosão do cinema? Boa parte das obras produzidas no novo formato ainda é experimental. No entanto, as editoras comerciais já começam a fazer suas próprias experiências. A Penguin e a Macmillan colocaram na rede vídeos mostrando como seus livros serão reinventados, ganhando recursos interativos e multimídia, espaço para comentários, mecanismos de busca e comunidades virtuais de leitores para trocar ideias.

Segundo o executivo-chefe da Penguin, John Makinson, a editora criará grande parte de seu conteúdo digital em HTML (linguagem para escrever páginas da internet) em vez do formato ePub, usado nos livros eletrônicos. “A própria definição de livro está aberta”, acredita. De fato, há dúvidas sobre como classificar as obras produzidas a partir das estratégias narrativas abertas pelas novas tecnologias. Seriam livros ou alguma forma nova, que já é chamada de transmídia, que conviverá em separado com o mercado editorial tradicional, como a televisão adquiriu uma linguagem diferente do cinema?

Apesar de toda essa excitação, não faltam leitores que não pretendem abandonar o papel por nada. Seus argumentos são pertinentes. Ler num computador não é tão confortável como ler uma obra impressa (por outro lado, uma biblioteca inteira cabe num levíssimo e-reader). É difícil ler na tela porque os olhos se cansam da luminosidade (aparentemente não os das novas gerações, habituadas às telas do computador). As baterias acabam, enquanto livros duram quase uma eternidade (em compensação os livros impressos não podem ser baixados para o seu e-book quando se está há horas esperando na antessala do médico). Para praticamente todo argumento contra um tipo de livro há um a favor.

Resta o insubstituível “cheirinho do livro”. Para quem não abre mão dele, uma história divertida é a relatada pelo historiador americano Robert Darnton em A Questão dos Livros: Passado, Presente e Futuro, que sai no Brasil em maio. Conta que uma pesquisa com estudantes constatou que 43% deles consideravam o cheiro uma das maiores qualidades dos livros. E a única que aparentemente não poderia ser suplantada pelos livros eletrônicos. Mas uma editora online, a CaféScribe, já apareceu com uma solução: oferecer um adesivo para ser colado em seus computadores com um aroma similar.

Especialista na história do livro, Darnton mostra que o livro impresso é também uma tecnologia de leitura, que já desbancou outras, no passado: os rolos de pergaminho e as obras manuscritas, mesmo que sob severos protestos de seus defensores. Nesta área, as mudanças têm sido cada vez mais rápidas. “Da descoberta da escrita até o codex (o formato atual do livro), passaram-se 4.000 anos; do codex à tipografia, 1.150 anos; da tipografia para a internet, 524 anos; da internet para os mecanismos de busca, 17 anos; deles para o Google, 7 anos; e quem sabe o que estará ali na esquina ou vindo na próxima onda?”, pergunta.

Com ou sem cheirinho, os e-readers prometem revolucionar os hábitos de leitura, assim como o codex fez com os rolos de papiro. Em vez de duas páginas lado a lado, teremos uma única, que também servirá para exibir vídeos, acessar a internet e nos comunicar com os amigos. Podemos retomar o hábito de fazer anotações nas margens, sublinhar e usar etiquetas virtuais (tags) para catalogar o que nos interessa. Em vez de comprar livros, poderemos baixá-los numa livraria virtual imediatamente — e talvez impulsivamente, porque o preço será bem menor. Será muito simples buscar palavras-chave num grande volume de textos e assim destrinchar em poucos minutos a obra de um grande pensador sobre determinado assunto. Ou mesmo de vários pensadores ao mesmo tempo. Vamos poupar muitas árvores de serem abatidas à toa, para a publicação de livros sem importância. Mas qual será o custo disso para o universo da leitura tal como conhecemos hoje?

O tempo dirá quem vai pagar a conta.

Revista Bravo: Novas formas de fazer literatura

Share CROWDSOURCING
Elaboração dos mais diversos conteúdos de maneira coletiva. O desenvolvimento de ferramentas interativas e o sucesso do twitter deu novo fôlego às experiências colaborativas em rede na área acadêmica e literária.

Aplicações
A enciclopédia virtual Wikipédia é um exemplo de narrativa colaborativa: em vez de especialistas contratados, quem escreve os verbetes são os leitores. Na wikiliteratura, eles também são convidados a contribuir para o desenvolvimento da história.

Títulos
De olho no fenômeno, a editora americana Penguin criou o projeto A Million Penguins, que chamou de exercício de escrita criativa colaborativa com base no twitter. Nela, todas as contribuições podem ser editadas, alteradas ou removidas pelos colegas. E a BBC Audiobooks convidou o escritor Neil Gaiman para dar o pontapé inicial de um conto com uma frase de 140 caracteres, complementado depois pelos seguidores cadastrados.

Interatividade
Total. A própria ideia de autoria se desfaz nestes projetos baseados no conceito de inteligência coletiva.



FICÇÃO HIPERTEXTUAL
Também chamada de ficção não-linear, permite que o texto tome vários caminhos e até ter vários finais possíveis. Não nasceu na internet, mas ganhou impulso nela pela facilidade de criar hiperlinks, que possibilitam navegar pela história.

Aplicação
Tem grande aplicação na literatura, adequada para a criação de nova narrativas não-lineares, ou na adaptação de já existentes, como O Jogo da Amarelinha, de Júlio Cortázar.

Títulos
Alguns dos mais interessantes exemplos podem ser consultados na Biblioteca Cervantes Virtual, sob a rubrica hipernovela. Vale conferir títulos como Condições Extremas, de Juan B. Gutierrez.

Interatividade
Pode ser de dois tipos: explorativa e construtiva. Na primeira, o autor define os rumos da história, mas permite ao leitor decidir seu trajeto de leitura. Na segunda, o leitor pode inclusive modificar a história.



HIPERMÍDIA
Narrativa que faz uso de texto, áudio, animações e vídeo para contar uma história ou desenvolver uma tese. A hipermídia não é a mera reunião da várias mídias, mas sim a fusão delas numa nova narrativa.

Aplicação
Permite que várias mídias sejam integradas e formem uma nova linguagem, com sua própria gramática. Já imaginou um livro como A Volta ao Mundo em 80 dias usando o Google Maps? É útil também em ensaios – um livro sobre a ópera, por exemplo, pode trazer imagem e áudio das encenações.

Títulos
O premiado Alice Inanimada, produzida por Kate Pullinger e Chris Joseph, é um romance que utiliza uma combinação das várias mídias. Durante dez episódios vemos a menina sair de uma região remota da China para se tornar uma designer de jogos.

Interatividade
Nem sempre é necessária. O leitor pode simplesmente acompanhar a história da forma como ela é narrada. Ou eventualmente jogar com ela.

VEJA: http://www.inanimatealice.com/


FAN FICTION
Obra de ficção criada por fãs com base em personagens de livros, filmes, mangás e animações consagradas. Sem se importar com direitos autorais, os fãs podem também tomar emprestadas situações das histórias originais.

Aplicação
Criado para diversão, o gênero também tem um potencial didático que já foi descoberto por professores de português. Em sala de aula, pode-se criar fan fictions de obras clássicas – inventado mais peripécias, por exemplo, para Leonardo Pataca, protagonista de Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida.

Títulos
Embora os primeiros blogs sejam dedicados a aventuras inspiradas pela série Harry Potter, de J. K. Rowling, há histórias baseadas em Senhor dos Anéis, de J. K. Tolkien, e em Eragon, de Christian Paolini, entre outros.

Interatividade
Em sites, blogs, fóruns e redes de e-mail, um “autor” pode controlar um personagem, discutindo com os amigos os rumos da história.

VEJA: http://fanfiction.nyah.com.br/


GAMES
Modelo narrativo não-linear, que leva o leitor a “jogar” uma história, em vez de acompanhar passivamente a trama arquitetada por um autor.

Aplicação
Atraente especialmente para o público juvenil, acostumado a interagir com videogames. Os educadores já estão de olho no potencial do formato para atualizar os livros didáticos. Já pensou estudar Geografia procurando um tesouro nos Andes?

Títulos
Em 2008, a editora americana Scholastic publicou o primeiro livro da série The 39 Clues – lançado no Brasil pela Ática. Escrito por Rick Riordan, autor de Percy Jackson & Os Olimpianos, o livro entrou imediatamente nas listas de mais vendidos nos Estados Unidos.

Interatividade
No caso de The 39 Clues, um website, figurinhas colecionáveis, quebra-cabeças, jogos on-line ajudam o leitor-jogador a seguir as pistas que revelam o passado da família Cahill e de personagens históricos, como Benjamin Franklin e Anastasia Romanov.

VEJA: http://www.the39clues.com


REALIDADE AUMENTADA
Marcada com um código especial, uma página de livro exibe objetos tridimensionais na tela do computador quando colocada em frente à webcam. São imagens, sons e textos que acrescentam informações ao conteúdo impresso, numa mistura de mundo virtual e real.

Aplicação
Útil para livros infantis e enciclopédias, que poderiam trazer mapas, gráficos e objetos animados e em 3D.

Títulos
As crianças que foram à Feira de Frankfurt em 2008 puderam se deliciar com as experiências da Metaio, uma empresa alta tecnologia alemã que apresentou os livros Aliens & UFOs. Este ano, as inglesas Salariya Book Company e Carlton lançaram títulos como O que Lola Quer... Lola Tem e Dinossauros Vivos!

Interatividade
O que diferencia essa tecnologia dos pop-ups tradicionais (livros de papel em que as ilustrações são montadas em 3D) é que os objetos em 3D se mexem e acompanham o leitor, seguindo seus movimentos.

VEJA: http://www.metaio.com


VOOK
Um livro em que a informação do texto é complementada com vídeo – algo parecido com o jornal Profeta Diário dos filmes de Harry Potter, em que as reportagens trazem, em vez de foto, personagens em movimento.

Aplicação
Útil para livros de receitas culinárias ou de ginástica, em que o leitor poderá ver os movimentos necessários em vídeo. Em ficção, contudo, seu uso é polêmico, por tirar do leitor o prazer de imaginar rostos e cenários.

TítulosDisponíveis hoje para iPhone e tablets – não para Kindle. Em ficção, Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol, e A Estranha História do dr. Jekyll e mr. Hyde, de Robert Louis Stevenson. Há ainda obras exclusivas para o formato, como Promessas, de Jude Deverauz.

Interatividade
O leitor pode se conectar com o autor, acessar links úteis e comentar a história com seus amigos ou outros leitores nas redes sociais, como o Twitter e o Facebook.

VEJA: http://www.vook.com

Conheça o Ipad - novo lançamento da Aple

Share video

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Pauta

Share Oi, gente!
Eu estava pensando sobre a pauta, pois quero fazer um texto que defina o nerd. Então, busquei no lugar mais confiável do mundo, a Wikipédia (hehehe). E até que encontrei algumas coisas bem legais... Olha só:

Nerd pode descrever dois tipos de pessoa: Aquela que exerce intensas atividades intelectuais superiores ao esperado para sua idade, em detrimento de outras atividades mais populares, como as físicas; também pode ser uma pessoa que tenha dificuldades de integração social e seja atrapalhada, mas que nutre grande fascínio por conhecimento ou tecnologia.

A etimologia da palavra também tem duas histórias:
O termo pode ter surgido no Massachusets Institute od Technology (MIT), por volta de 1950. Para quem não sabe, o MIT é um pólo de nerds nos EUA, além de ser uma faculdade muito difícil de entrar e de sair (com o diploma). Dizem que os alunos se chamavam Knurds (“drunk”, que quer dizer bêbado, ao contrário). Seria uma forma de brincar com aqueles que passavam noites em claro bebendo enquanto eles também deixam de dormir, mas para estudar.

Há também a lenda de que a expressão seja uma sigla para Northern Electric Research and Development (Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da companhia Northern Electric). Nesse caso, NERDs seriam aqueles que trabalhavam nesse laboratório de tecnologia.

E para você, o que é um nerd?
Related Posts with Thumbnails

Template by: Free Blog Templates